Gestão estratégica: o que é, objetivos e tipos

11/03/2024
gestão estratégica

A gestão estratégica desempenha um papel fundamental no sucesso de qualquer organização. 

De forma simplificada, se trata de um conjunto de processos e técnicas que visam orientar uma empresa em direção aos seus objetivos de longo prazo. Mas, vai muito além disso. 

Neste texto, vamos abordar mais profundamente o conceito, seus objetivos essenciais e os diferentes tipos que podem ser adotados pelas organizações. 

Entender esses aspectos é fundamental para quem busca não apenas sobreviver, mas prosperar em um mercado cada vez mais competitivo e volátil. 

Se você deseja aprimorar seus conhecimentos, continue a leitura e descubra como a gestão estratégica pode fazer a diferença no seu negócio.

O que é gestão estratégica?

A gestão estratégica é um processo contínuo e sistemático que visa orientar uma organização a alcançar seus objetivos de longo prazo de forma eficiente e eficaz. 

Ela envolve uma análise detalhada do ambiente externo e interno da empresa, como a identificação de oportunidades e ameaças, avaliação das competências internas, definição de metas claras e mensuráveis, desenvolvimento de estratégias para atingir essas metas e implementação de ações para a execução.

Que tipo de empresa pode se beneficiar da gestão estratégica?

Todos os tipos de empresas podem se beneficiar da gestão estratégica de várias maneiras. 

Isso porque, ela ajuda, entre outros aspectos, a melhorar a tomada de decisão, permitindo que as lideranças identifiquem e priorizem as iniciativas que contribuem mais para os objetivos de longo prazo. 

Dessa forma, empresas de todos os tamanhos e setores podem se beneficiar da gestão estratégica, mas aquelas que operam em ambientes altamente competitivos e em constante mudança tendem a aproveitar melhor seus benefícios. 

Empresas em setores como tecnologia, por exemplo, geralmente enfrentam uma concorrência intensa e rápidas mudanças no mercado, o que torna a gestão estratégica especialmente importante para sua sobrevivência, produtividade e sucesso a longo prazo. 

Planejamento ou gestão estratégica: qual a diferença?

Ao falar em gestão estratégica, é importante distingui-la do planejamento estratégico. 

O planejamento estratégico se trata de uma parte do processo de gestão e envolve a formulação de estratégias e planos de ação para alcançar os objetivos de longo prazo de uma organização.

Já a gestão estratégica é um processo mais amplo que inclui não apenas o planejamento, mas também a implementação, monitoramento e avaliação das estratégias ao longo do tempo. 

Portanto, enquanto o planejamento estratégico é mais focado na definição da direção e metas, a gestão estratégica é mais orientada para a execução e adaptação contínua às mudanças no ambiente externo e interno da organização.

Quais os objetivos da gestão estratégica?

Os objetivos da gestão estratégica são diversos e visam orientar as empresas em direção ao alcance de seus objetivos de longo prazo. Entre os principais, podemos destacar:

  • Alinhamento à missão, visão e valores: isso implica que todas as ações e decisões estratégicas devem estar sempre em conformidade com a identidade e propósito fundamentais da organização.
  • Identificação de oportunidades e ameaças: o que vale tanto para o ambiente interno, como externo. Para fazer isso, é preciso analisar tendências de mercado, comportamento do consumidor, mudanças regulatórias, avanços tecnológicos e outros fatores que possam impactar o desempenho futuro da empresa.
  • Avaliação das competências internas: isso inclui analisar os recursos humanos, financeiros, tecnológicos e operacionais disponíveis, bem como as capacidades e habilidades essenciais para alcançar os objetivos estratégicos.
  • Definição de metas e objetivos mensuráveis: a gestão estratégica visa também estabelecer  a direção da organização a partir de objetivos específicos, alcançáveis, relevantes e oportunos, e servir como critérios para avaliar o progresso e o desempenho.
  • Desenvolvimento de estratégias para alcançar os objetivos: isso envolve identificar as ações e iniciativas necessárias para atingir as metas estabelecidas e determinar os recursos e processos necessários para implementar essas estratégias.
  • Implementação de ações para executar as estratégias: a gestão estratégica também envolve a alocação de recursos, a designação de responsabilidades, o estabelecimento de prazos e a execução de planos de ação para garantir que as estratégias sejam implementadas de forma eficiente e oportuna.
  • Monitoramento e avaliação do desempenho: por fim, é também objetivo da gestão estratégica acompanhar o progresso em direção às metas, identificar desvios e ajustar as estratégias conforme necessário para garantir que a companhia permaneça no caminho certo para alcançar seus objetivos de longo prazo.

Como é o framework da gestão estratégica?

O framework da gestão estratégica é um modelo estruturado que guia as organizações através do processo de planejamento, implementação e monitoramento de suas estratégias para alcançar seus objetivos de longo prazo. 

Embora existam várias abordagens e modelos disponíveis, geralmente, o framework da gestão estratégica segue um processo cíclico que envolve as seguintes etapas:

Análise ambiental

Esta etapa envolve a análise do ambiente externo e interno da organização. Nesse caso, usa-se muito a análise SWOT. 

Nela, estão incluídas a identificação de oportunidades e ameaças no ambiente externo, como mudanças no mercado, competição e tendências do setor. 

Adicionalmente, avalia-se as forças e fraquezas internas da organização, incluindo recursos, capacidades e competências. 

Formulação da estratégia

Com base na análise ambiental, a organização deve formular sua estratégia. Isso inclui estabelecer metas e objetivos de longo prazo, identificar áreas de foco estratégico e desenvolver planos de ação para alcançar esses objetivos. 

Durante essa etapa, as estratégias são, geralmente, definidas em termos de posicionamento no mercado, desenvolvimento de produtos, expansão geográfica, entre outros.

Implementação da estratégia

Nesta etapa, as estratégias são colocadas em prática. Isso exige a alocação de recursos, designação de responsabilidades, definição de prazos e execução de planos de ação. 

Para que tudo funcione bem, é importante garantir que todas as partes interessadas estejam alinhadas e comprometidas com a implementação das estratégias.

Monitoramento e avaliação

Durante toda a implementação da estratégia, é essencial monitorar e avaliar continuamente o progresso em direção aos objetivos estratégicos. 

Nesse sentido, deve ser feito o acompanhamento dos indicadores-chave de desempenho (KPIs) e a comparação dos resultados obtidos com as metas estabelecidas. 

Com base nessa avaliação, ajustes podem ser feitos para melhorar o desempenho e garantir que a organização permaneça no caminho certo para alcançar seus objetivos de longo prazo.

Adaptação estratégica

À medida que o ambiente externo e interno da organização evolui, é fundamental que a estratégia seja adaptada para garantir sua relevância e eficácia contínuas. 

Isso pode envolver a revisão e atualização das metas e objetivos, a modificação das estratégias e planos de ação, e a realocação de recursos conforme necessário.

Quais os 4 tipos de gestão estratégica?

Existem diversos modelos e abordagens para a gestão estratégica, e diferentes autores podem categorizar os tipos de gestão estratégica de maneiras ligeiramente diferentes. 

No entanto, com base em abordagens comuns, podemos identificar quatro tipos principais de gestão estratégica:

Gestão prospectiva

Voltada para a antecipação de tendências futuras e preparação da organização para enfrentar mudanças. 

Neste tipo de gestão estratégica, as organizações se concentram em identificar oportunidades, tendências de mercado e tecnologias, além de analisar cenários futuros possíveis. 

A partir dessas informações, elas desenvolvem estratégias para se adaptar, ganhando uma vantagem competitiva.

Gestão adaptativa

A gestão adaptativa se concentra na capacidade da organização em se adaptar rapidamente às mudanças no ambiente externo para se manterem competitivas. 

Isso geralmente envolve a criação de estruturas flexíveis e ágeis, a promoção de uma cultura de inovação e aprendizagem contínua, e a capacidade de tomar decisões rápidas.

Gestão preditiva

A gestão preditiva baseia-se na análise de dados históricos e tendências para prever futuros cenários. 

Neste tipo de gestão estratégica, as organizações utilizam análises de dados, modelagem estatística, técnicas de mineração de dados e outras ferramentas para identificar padrões. 

Isso tudo permite que elas antecipem mudanças no mercado, demanda do cliente, concorrência e outros fatores relevantes, e desenvolvam estratégias para se adaptar antes que ocorram.

Gestão reativa

A gestão reativa responde às mudanças no ambiente externo de forma reativa, sem um planejamento estratégico antecipado. 

Neste tipo de gestão estratégica, as organizações lidam com problemas à medida que surgem, muitas vezes, adotando uma abordagem de “apagar incêndios” para resolver crises e lidar com desafios imediatos. 

Embora possa ser justificada em situações de crise ou emergência, a gestão reativa tende a ser menos eficaz em promover um crescimento e uma vantagem competitiva a longo prazo, pois não é baseada em um planejamento deliberado e proativo.

Quais os benefícios da gestão estratégica?

A gestão estratégica oferece uma série de benefícios para todos os tipos de empresas. 

Entre os principais está a melhoria da tomada de decisão. Isso porque, ao adotar uma abordagem mais estratégica, as organizações podem colher resultados mais acertados em relação a investimentos, alocação de recursos e desenvolvimento de novas iniciativas.

Além disso, a gestão estratégica também contribui para eliminar atividades desnecessárias, focando em iniciativas que agreguem valor real aos seus clientes e partes interessadas.

Outro benefício importante é o aumento do alinhamento entre as diversas áreas e níveis da organização em torno de objetivos claros e coesos.

Além disso, essa forma de gestão também contribui para melhorar a adaptação da organização ao ambiente externo, se preparando para responder rapidamente às mudanças no mercado, na concorrência e nas regulamentações.

Outro benefício significativo é o aumento da competitividade, garantindo sua posição no mercado a longo prazo.

Por fim, a gestão estratégica também promove a inovação e aprendizagem ao incentivar a exploração de novas oportunidades e abordagens.

10 dicas para pôr em prática a gestão estratégica

A gestão estratégica é uma ferramenta poderosa para orientar as organizações em direção ao sucesso em um ambiente cada vez mais competitivo e volátil. 

Seguindo um processo estruturado e utilizando as melhores práticas, as empresas podem maximizar suas chances de alcançar seus objetivos de longo prazo e se destacar no mercado.

Anote agora 10 dicas para pôr em prática a gestão estratégica na sua empresa:

  1. Envolva todas as partes interessadas na definição da estratégia;
  2. Estabeleça metas e objetivos claros e mensuráveis;
  3. Priorize as iniciativas de acordo com sua importância e impacto;
  4. Aloque recursos de forma eficiente;
  5. Monitore regularmente o progresso em direção aos objetivos;
  6. Fomente uma cultura organizacional orientada para o pensamento analítico e estratégico;
  7. Adapte-se rapidamente às mudanças no ambiente externo;
  8. Invista em tecnologia e sistemas de informação;
  9. Promova a aprendizagem organizacional e a inovação;
  10. Reveja e ajuste a estratégia regularmente à medida que o ambiente externo muda.

Agora que você sabe o que é e como aplicar a gestão estratégica, que tal aprender como metodologias ágeis podem melhorar sua gestão de projetos? Baixe nosso ebook exclusivo!

Compartilhe

Receba conteúdos sobre times de alta performance direto no seu e-mail

Aproveite e leia também

Quase sempre, as grandes ideias não surgem de uma única pessoa ou função isolada, mas sim da interseção de funções ou pessoas

Em um mundo corporativo cada vez mais complexo e dinâmico, a busca por abordagens de liderança autênticas e centradas na autogestão tornou-se

A diversidade está ligada à representação demográfica, enquanto a inclusão vai além. Incluir é garantir que toda a diversidade existente na empresa

Imagine uma empresa de alto crescimento que precisa executar transações ou trocar informações com stakeholders do mundo inteiro. Ou até mesmo uma

Nos últimos anos tem sido comum empresas que possuíam vantagens competitivas sólidas se verem ameaçadas (ou “disruptadas”) por empresas menores que não

Os avanços tecnológicos do passado iniciaram as jornadas de transformação digital nas empresas, e serão os próximos avanços que moldarão o futuro

A inteligência artificial (IA) está redefinindo a forma como diversas atividades são conduzidas no ambiente corporativo. Uma de suas aplicações mais importantes

Lao-Tzu, filósofo chinês e fundador do taoísmo, sempre dizia que quem conhece os outros é inteligente, e quem conhece a si mesmo é

 Nos últimos anos, o conceito de ESG (Environmental, Social and Governance) tem ganhado destaque no cenário empresarial global. O aumento significativo nas

Resumo A liderança 4.0 é um novo modelo de liderança para a era digital, focado em tecnologia, adaptabilidade, inovação e pessoas. É

O conceito de produtividade no trabalho tem diferentes perspectivas e significados ao longo da história. Dentre essas perspectivas, a mais popularizada é

Em busca de abordagens de liderança mais eficazes e centradas nas pessoas, a liderança consciente surge como uma proposta inovadora e impactante.

Em um cenário empresarial dinâmico e desafiador, a capacidade de identificar e resolver problemas de forma eficaz é crucial para o sucesso

Em um mundo empresarial em constante evolução, a capacidade de adaptação é mais crucial do que nunca.  Nesta exploração aprofundada, embarcaremos em

Muito se comenta sobre metodologias ágeis e seu retorno para as organizações. E pelos comentários, podemos julgar que elas são a resolução

No contexto dinâmico do cenário profissional atual, a avaliação de desempenho não apenas se destaca como um procedimento padrão, mas se revela

Você já deve ter ouvido falar sobre profissional de alta performance no trabalho. Este profissional destaca-se por conseguir alcançar as metas e

Em um tempo de mudanças rápidas e imprevísiveis como o que vivemos, ficar estagnado não é uma opção. E, quando falamos em

A palavra “ética” vem sendo bastante usada em diversos contextos, desde lugares comuns até ambientes corporativos. Mas então, o que é ética

 A liderança é um componente essencial para o sucesso de qualquer organização, e em um mundo empresarial dinâmico, a abordagem de liderança

O mercado de trabalho moderno é dinâmico e altamente competitivo, exigindo que profissionais atualizem constantemente suas habilidades e competências.   No mundo acelerado

Em tempos de ciclos mais curtos a capacidade de se adaptar é crucial. Nesse cenário, o papel do Agile Coach ganha destaque,

As organizações de todos os portes e segmentos estão passando, nos últimos anos, por mudanças profundas na sua gestão e muitas estão

No cenário atual, marcado por uma crescente integração da tecnologia em nossa rotina, os treinamentos online tornaram-se uma peça fundamental no desenvolvimento

Em um cenário cada vez mais interconectado e impulsionado pela comunicação instantânea, o networking se tornou uma habilidade que todo profissional precisa

Construa uma equipe de Alta Performance

A primeira e única plataforma onde o colaborador aprende enquanto performa e performa enquanto aprende

 

Encontre materiais e conteúdos da FRST