Inteligência emocional: como desenvolvê-la e melhorar sua gestão

21/10/2023

No cenário dinâmico e desafiador das empresas, o sucesso não se trata apenas de estratégias e números. Envolve a compreensão profunda das próprias emoções e dos outros. E a habilidade responsável por isso é a inteligência emocional.

Com certeza, você já ouviu falar sobre esse tema e talvez até já tenha recebido algum feedback de que precisa ser mais emocionalmente inteligente.

Mas você sabe por que essa habilidade é tão importante? A resposta pode te surpreender. De acordo com a consultoria empresarial TalentSmart, 58% do desempenho de qualquer profissional está relacionado à inteligência emocional.

Apesar desse tema ser amplamente divulgado, nem sempre traz boas recomendações do que fazer para desenvolver essa habilidade.

E pensando na diferença que isso pode fazer na forma como você lidera sua equipe, elaboramos este conteúdo para te ajudar numa abordagem mais prática do assunto, não só para você, como líder, mas também para guiar sua equipe na construção da inteligência emocional.

Confira os tópicos que serão abordados e aproveite a leitura!

O que é inteligência emocional?

Temos certeza de que você já ouviu o termo “inteligência emocional” ou IE. Mas, na prática, você conhece seu real significado?

Ser emocionalmente inteligente é ter a capacidade de reconhecer, entender e gerenciar as próprias emoções e as das outras pessoas.

Vale lembrar que a emoção é, segundo o dicionário Aulete, uma “reação tanto psíquica como física ante um fato, uma situação, uma percepção, uma notícia etc., que se manifesta, subjetivamente, como sensação intensa (p. ex., de medo ou raiva, alegria ou tristeza etc.,) e, fisiologicamente, com alterações que levam o corpo a agir de acordo com esse estímulo.”

Portanto, não se trata de não ter ou negar emoções, mas de saber administrá-las. Por exemplo, imagine um cenário em que um líder está enfrentando uma situação de crise dentro da equipe de trabalho.

Sem inteligência emocional, reagiria com pânico e estresse, transmitindo essas emoções para sua equipe e aumentando a ansiedade de todo o time.

Assim, ele poderia tomar decisões precipitadas e comunicar-se de maneira desorganizada. Isso só causaria ainda mais confusão e preocupação entre os membros da equipe, gerando um ambiente de trabalho tenso e desmotivador.

No entanto, sendo emocionalmente inteligente, o líder reconhece suas próprias emoções e é capaz de gerenciá-las.

Ele avalia a situação objetivamente, elabora um plano de ação calmo e claro e comunica-se de maneira honesta, porém tranquilizadora, com a equipe.

Sua capacidade de manter a calma em momentos de pressão cria um ambiente mais estável e confiante para seus colaboradores.

Além disso, ele mantém-se aberto a ouvir as preocupações e sugestões do time, demonstrando empatia e promovendo a colaboração.

Com este exemplo, fica claro que a IE é composta por várias outras habilidades, as famosas soft skills (habilidades comportamentais), sendo uma delas a resiliência profissional.

Como surgiu a ideia de inteligência emocional?

E para falar sobre inteligência emocional, não poderíamos deixar de citar o psicólogo norte-americano Daniel Goleman.

Afinal, foi ele quem popularizou esse conceito em seu livro Inteligência Emocional: a teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente.

Mas você sabia que antes de Goleman, a IE já tinha vindo à tona? Foram os estudiosos Peter Salovey e John D. Mayer, em 1990, que definiram a IE como:

“A capacidade de perceber e exprimir a emoção, assimilá-la ao pensamento, compreender, raciocinar, e saber regulá-la em si próprio e nos outros.”

Contudo, Goleman explorou a inteligência emocional para além de estudos acadêmicos, trazendo-a para a prática cotidiana, inclusive para o meio empresarial.

O psicólogo criou os 5 pilares da inteligência emocional que ajudam a entender o que é essa habilidade e como desenvolvê-la. Confira no próximo tópico!

Os 5 pilares da inteligência emocional

Conheça os 5 pilares da inteligência emocional:

1. Autoconsciência

O primeiro passo para aprimorar sua inteligência emocional é cultivar a autoconsciência, também conhecida como autoconhecimento.

Isso envolve compreender suas próprias emoções, motivações e reações para poder tomar decisões mais alinhadas com seus valores e lidar com desafios de maneira mais equilibrada.

2. Autogerenciamento

Ao entender suas emoções, é hora de autogerenciá-las. Isso significa lidar com o estresse, controlar impulsos e manter a calma mesmo sob circunstâncias adversas.

Ao demonstrar autogerenciamento, você estará estabelecendo um exemplo positivo e inspirador para o seu time.

3. Automotivação

A automotivação é o terceiro pilar e trata da capacidade de se manter motivado, mesmo frente à desafios.

Além disso, ela impulsiona você a estabelecer e perseguir metas desafiadoras. Líderes motivados definem objetivos claros para si mesmos e suas equipes, inspirando todos a alcançarem níveis mais altos de desempenho.

Por fim, a automotivação também inclui motivar sua equipe, criando um ambiente onde todos se sintam energizados e comprometidos com os objetivos organizacionais.

Você também pode gostar deste conteúdo: Motivação: como o autoconhecimento ajuda a desenvolver essa habilidade

4. Empatia

A empatia envolve compreender as perspectivas e sentimentos alheios. Quando você a demonstra, constrói relacionamentos mais fortes e uma cultura de apoio mútuo em sua equipe.

5. Habilidades de relacionamento

Líderes eficazes têm habilidades interpessoais sólidas. Isso inclui a capacidade de comunicar-se de maneira clara e inspiradora, resolver conflitos de forma construtiva e cultivar um ambiente de trabalho positivo.

Invista na construção de relacionamentos significativos com sua equipe, promovendo a comunicação aberta e a colaboração.

Qual a importância da inteligência emocional para um líder?

A importância da inteligência emocional se dá em qualquer nível da hierarquia organizacional.

Mas, sem dúvidas, na gestão ela é ainda mais relevante, uma vez que transforma a maneira como você lidera e influencia sua equipe.

Como falamos antes, a inteligência emocional é um conjunto de habilidades, tais como:

  • Resiliência;
  • Flexibilidade;
  • Motivação;
  • Autoconhecimento;
  • Empatia;
  • Escuta ativa.

Até mesmo a visão sistêmica pode te ajudar a desenvolver a inteligência emocional. Isso porque, ao enxergar a organização como um sistema complexo, os líderes são incentivados a se colocar no lugar dos outros, considerando suas perspectivas e emoções.

Isso promove a empatia não apenas no nível individual, mas também em relação aos desafios e objetivos de diferentes departamentos e equipes.

E você sabia que as habilidades listadas acima estarão em crescente demanda até 2027? É o que aponta o relatório Futuro do Trabalho 2023 (Fórum Econômico Mundial):

Top 10 skills on the rise (World Economic Forum)

Confira a importância da inteligência emocional para um líder:

1. Construção de relações significativas

Líderes emocionalmente inteligentes são capazes de estabelecer conexões profundas e significativas com sua equipe.

Ao compreender as emoções dos outros e demonstrar empatia, você cria um ambiente de trabalho onde todos se sentem valorizados, compreendidos e apoiados.

Vale destacar que relações saudáveis e construtivas são o alicerce de uma equipe coesa e produtiva.

2. Tomada de decisões equilibradas

A IE capacita líderes a tomarem decisões mais equilibradas e bem fundamentadas. Ao serem conscientes de suas próprias emoções e das emoções da equipe, os líderes podem avaliar as situações com uma perspectiva mais abrangente.

Isso resulta em decisões que consideram não apenas os aspectos técnicos, mas também o impacto emocional nas pessoas envolvidas.

3. Gestão de conflitos eficiente

Conflitos acontecem em qualquer ambiente de trabalho. No entanto, líderes emocionalmente inteligentes estão preparados para enfrentá-los de maneira construtiva.

Eles são capazes de acalmar tensões, ouvir os diferentes lados da história e encontrar soluções que atendam às necessidades de todas as partes envolvidas.

A habilidade de gerenciar conflitos com empatia e respeito cria um ambiente de trabalho mais harmonioso e produtivo.

Inclusive, há algumas pesquisas que apontam um aumento de 20% na produtividade de profissionais emocionalmente inteligentes.

4. Inspiração e motivação

Líderes com inteligência emocional têm a capacidade de inspirar e motivar sua equipe de maneira genuína.

Sua paixão, energia e compromisso servem como modelos inspiradores para os membros da equipe.

Ao demonstrar motivação, você cria um ambiente onde a equipe se sente energizada e motivada a superar desafios e alcançar resultados excepcionais.

5. Liderança resiliente

A inteligência emocional fortalece a resiliência dos líderes diante de desafios. Ao entender e gerenciar suas emoções, você está melhor preparado para enfrentar a pressão, manter a calma em situações adversas e liderar com confiança.

Sua capacidade de permanecer firme em meio às dificuldades inspira a equipe a seguir seu exemplo e perseverar diante das adversidades.

Inteligência emocional: como desenvolver

É importante ter clareza de que desenvolver a inteligência emocional é um processo contínuo.

Quanto mais você se dedicar a aprimorar essa habilidade, mais impacto positivo verá em suas interações, tomadas de decisão e na coesão da equipe.

Confira algumas práticas que listamos para te ajudar:

1. Pratique a autoconsciência regularmente

Reserve tempo regularmente para se autoavaliar. Reflita sobre suas reações emocionais nas diversas situações do seu dia a dia profissional, identificando padrões e oportunidades de melhoria.

Manter um diário emocional pode ser útil nesse processo. Ao analisar suas próprias emoções e comportamentos, você ganha clareza sobre como eles impactam suas ações e decisões como líder.

Isso permite que você faça ajustes conscientes e melhore a maneira como responde a situações desafiadoras.

2. Desenvolva hábitos de autogerenciamento

Pratique técnicas de gerenciamento do estresse, como meditação e exercícios físicos.

Aprenda a reconhecer quando está prestes a reagir impulsivamente e faça pausas antes de responder.

O autocontrole é uma habilidade cultivada com o tempo e a prática. Ao adotar o hábito de pausar e refletir antes de agir, você evita respostas emocionais impulsivas que possam prejudicar relacionamentos ou decisões.

Isso também cria um ambiente onde sua equipe vê você como um líder calmo e equilibrado, inspirando confiança.

3. Cultive a empatia ativamente

Dedique tempo para ouvir ativamente seus colegas e colaboradores. Concentre-se em compreender suas perspectivas e sentimentos, mesmo que sejam diferentes dos seus.

A prática da empatia envolve escutar com atenção, fazer perguntas que mostrem interesse genuíno e validar as emoções dos outros.

Essa abordagem constrói relacionamentos sólidos e demonstra que você valoriza as contribuições individuais.

Além disso, quando você compreende as preocupações e necessidades da equipe, é mais provável que tome decisões informadas e alinhadas com os interesses do grupo.

4. Aprimore suas habilidades de comunicação

Concentre-se em melhorar sua capacidade de expressar ideias de maneira clara e ouvir atentamente os outros.

Pratique a comunicação eficaz através da prática constante. Use linguagem não verbal para mostrar interesse e compreensão durante as conversas. Seus gestões e expressões também comunicam.

Além disso, desenvolva a habilidade de fazer perguntas abertas que incentivem discussões significativas e promovam a participação.

Comunicar-se de maneira emocionalmente inteligente cria um ambiente de trabalho onde as pessoas se sentem valorizadas e ouvidas, promovendo um diálogo aberto e construtivo.

5. Busque o desenvolvimento contínuo

O aprendizado contínuo (lifelong learning) é essencial para o desenvolvimento da inteligência emocional. Participe de treinamentos, workshops e leituras relacionadas ao tema.

Além disso, busque mentores que possam oferecer orientação personalizada. O crescimento da inteligência emocional é uma jornada em evolução, e o comprometimento com o desenvolvimento contínuo enriquece suas habilidades ao longo do tempo.

Através da busca constante por conhecimento e feedback, você se posiciona para se tornar um líder ainda mais emocionalmente inteligente e eficaz.

6. Autenticidade e autoaceitação

Aceitar suas próprias emoções e vulnerabilidades é crucial. Pratique a autenticidade sendo honesto sobre seus próprios sentimentos.

Lembre-se de que líderes também são seres humanos e têm emoções. Ao demonstrar autenticidade, você constrói um ambiente onde a equipe se sente à vontade para ser honesta e aberta. Isso cria um espaço de confiança e respeito mútuo.

“A vulnerabilidade é a nossa medida mais precisa de coragem.”

Brené Brown, professora, pesquisadora e escritora

Dica extra: livros, filmes e documentários para te ajudar a melhorar sua inteligência emocional

Como citamos, desenvolver a inteligência emocional é um processo em constante movimento. Por isso, é essencial buscar outras fontes para aprimorar essa habilidade.

Pensando em te ajudar nessa missão, confira algumas recomendações que separamos especialmente para você:

Livros

1) Inteligência Emocional (Daniel Goleman): este livro oferece uma compreensão profunda dos conceitos fundamentais da inteligência emocional e como aplicá-los em diferentes aspectos da vida e liderança.

2) Liderança: A inteligência emocional na formação do líder de sucesso (Daniel Goleman): não apenas examina as teorias da inteligência emocional, mas também oferece um guia prático para líderes que desejam cultivar suas próprias habilidades emocionais.

3) Gestão da emoção: Técnicas de coaching emocional para gerenciar a ansiedade (Augusto Cury): neste livro o autor dá acesso às técnicas de coaching emocional para lidar com a ansiedade, apresentando abordagens práticas para o equilíbrio emocional.

Filmes e documentários

1) The Call to Courage (disponível na Netflix): este documentário da renomada pesquisadora e autora Brené Brown explora profundamente a coragem, a vulnerabilidade e o papel essencial da inteligência emocional em nossa vida pessoal e profissional.

2) Divertida Mente (disponível no Amazon Prime Video): apesar de ser uma animação, este filme está longe de ser só para crianças. Na verdade, ele apresenta as emoções de uma maneira única e ajuda a entender como elas afetam nosso comportamento.

3) À Procura da Felicidade (disponível na Netflix): baseado em uma história real, este filme retrata a determinação de um homem em superar adversidades pessoais e profissionais, evidenciando a importância da resiliência emocional.

Conheça outras habilidades profissionais importantes

Agora você já sabe que a inteligência emocional é a chave para construir relacionamentos sólidos, tomar decisões informadas e liderar equipes de maneira inspiradora.

A partir disso, você está se posicionando para enfrentar os desafios do mundo corporativo com confiança e empatia.

Mas a jornada para tornar você um líder cada vez mais eficiente, pronto para o futuro, é contínua. Há mais habilidades que podem elevar o nível da sua liderança, bem como direcionar sua equipe para o alto desempenho.

Em nosso checklist “As 15 competências fundamentais do profissional do futuro” você encontra um guia para desenvolver habilidades essenciais tanto em você quanto na sua equipe.

Impulsione sua performance e a do seu time agora mesmo. Baixe o material gratuitamente:

Banner com descritivo para download gratuito de checklist das 15 competências fundamentais para o profissional do futuro

Compartilhe

Receba conteúdos sobre times de alta performance direto no seu e-mail

Aproveite e leia também

Em um mundo corporativo cada vez mais complexo e dinâmico, a busca por abordagens de liderança autênticas e centradas na autogestão tornou-se

André sempre foi o melhor vendedor de sua região e, por isso, foi promovido a supervisor. Ao assumir seu novo cargo, o

Inúmeras pesquisas apontam que a saúde mental durante a pandemia atingiu o seu pico de estresse. Em uma dessas pesquisas, liderada pela

 Danielle Torres, sócia-diretora da consultoria KPMG, a primeira executiva assumidamente trans do país, compartilhou sua história numa entrevista realizada à Você S/A,

A transformação digital continua sendo um direcionador de investimento das empresas, de acordo com uma recente pesquisa global da Conference Board, com

A diversidade está ligada à representação demográfica, enquanto a inclusão vai além. Incluir é garantir que toda a diversidade existente na empresa

Imagine uma empresa de alto crescimento que precisa executar transações ou trocar informações com stakeholders do mundo inteiro. Ou até mesmo uma

Nos últimos anos tem sido comum empresas que possuíam vantagens competitivas sólidas se verem ameaçadas (ou “disruptadas”) por empresas menores que não

Quase sempre, as grandes ideias não surgem de uma única pessoa ou função isolada, mas sim da interseção de funções ou pessoas

Os avanços tecnológicos do passado iniciaram as jornadas de transformação digital nas empresas, e serão os próximos avanços que moldarão o futuro

A inteligência artificial (IA) está redefinindo a forma como diversas atividades são conduzidas no ambiente corporativo. Uma de suas aplicações mais importantes

Lao-Tzu, filósofo chinês e fundador do taoísmo, sempre dizia que quem conhece os outros é inteligente, e quem conhece a si mesmo é

 Nos últimos anos, o conceito de ESG (Environmental, Social and Governance) tem ganhado destaque no cenário empresarial global. O aumento significativo nas

Resumo A liderança 4.0 é um novo modelo de liderança para a era digital, focado em tecnologia, adaptabilidade, inovação e pessoas. É

O conceito de produtividade no trabalho tem diferentes perspectivas e significados ao longo da história. Dentre essas perspectivas, a mais popularizada é

Em busca de abordagens de liderança mais eficazes e centradas nas pessoas, a liderança consciente surge como uma proposta inovadora e impactante.

Em um cenário empresarial dinâmico e desafiador, a capacidade de identificar e resolver problemas de forma eficaz é crucial para o sucesso

Em um mundo empresarial em constante evolução, a capacidade de adaptação é mais crucial do que nunca.  Nesta exploração aprofundada, embarcaremos em

Muito se comenta sobre metodologias ágeis e seu retorno para as organizações. E pelos comentários, podemos julgar que elas são a resolução

No contexto dinâmico do cenário profissional atual, a avaliação de desempenho não apenas se destaca como um procedimento padrão, mas se revela

Você já deve ter ouvido falar sobre profissional de alta performance no trabalho. Este profissional destaca-se por conseguir alcançar as metas e

Em um tempo de mudanças rápidas e imprevísiveis como o que vivemos, ficar estagnado não é uma opção. E, quando falamos em

A palavra “ética” vem sendo bastante usada em diversos contextos, desde lugares comuns até ambientes corporativos. Mas então, o que é ética

 A liderança é um componente essencial para o sucesso de qualquer organização, e em um mundo empresarial dinâmico, a abordagem de liderança

O mercado de trabalho moderno é dinâmico e altamente competitivo, exigindo que profissionais atualizem constantemente suas habilidades e competências.   No mundo acelerado

Em tempos de ciclos mais curtos a capacidade de se adaptar é crucial. Nesse cenário, o papel do Agile Coach ganha destaque,

As organizações de todos os portes e segmentos estão passando, nos últimos anos, por mudanças profundas na sua gestão e muitas estão

Feedforward é uma abordagem revolucionária para aprimorar o desempenho dos colaboradores, focando em orientações e sugestões para ações futuras, ao invés de

LNT é o processo estratégico de identificação das necessidades de treinamento dos colaboradores em uma empresa.  Essa prática fundamental visa aprimorar habilidades

Construa uma equipe de Alta Performance

A primeira e única plataforma onde o colaborador aprende enquanto performa e performa enquanto aprende

 

Encontre materiais e conteúdos da FRST