Comunicação não-violenta (CNV): o que é e como aplicar na empresa

18/03/2024
comunicação não-violenta

A comunicação tem um papel central no ambiente de trabalho e na sociedade como um todo, pois ela possibilita que pessoas possam trocar informações, interagir e desempenhar uma série de funções.  

No entanto, muitas vezes, essa maneira como as pessoas dialoguem entre si pode ser permeada por conflitos e tensões, que prejudicam não apenas o ambiente de trabalho, mas também a eficácia do fluxo de trabalho como um todo.  

É nesse contexto que a Comunicação Não-Violenta (CNV) surge como uma abordagem essencial para promover relações mais saudáveis e produtivas dentro das empresas. 

Neste artigo, vamos explorar esse conceito, entender suas principais características, componentes e benefícios, além de conferir como ela pode ser colocada em prática no ambiente corporativo. Acompanhe!  

O que é Comunicação Não-Violenta (CNV)? 

A Comunicação Não-Violenta (CNV) é uma abordagem de comunicação desenvolvida pelo psicólogo norte-americano Marshall Rosenberg. Ela propõe um método eficaz para expressar sentimentos e necessidades de forma clara e empática, ao mesmo tempo em que se promove uma escuta ativa e respeitosa.  

A CNV é fundamentada em princípios de compaixão, empatia, autenticidade e cooperação, e busca transformar conflitos em oportunidades de crescimento e compreensão mútua. 

Ao praticar a CNV, as pessoas são incentivadas a se conectarem de forma genuína, e substituir reações rápidas e automáticas a um discurso — que podem sair de forma reativa — por uma resposta mais consciente, que envolve a reflexão e percepção sobre os outros e sobre si.

Um resumo do livro 

O livro Comunicação Não-Violenta, escrito pelo psicólogo clínico Marshall B. Rosenberg, é fruto do trabalho do autor ao longo dos anos 1960 e 1970 na clínica e em outras instituições onde observava a forma violenta e conflituosa que permeava as relações.  

Inspirado na resistência não-violenta de grandes figuras como Gandhi e Martin Luther King, Rosenberg criou a CNV como uma ferramenta para transformar relacionamentos, oferecendo um modelo prático para expressar sentimentos e necessidades de forma autêntica, enquanto se mantém receptivo à perspectiva dos outros.  

O livro explora os quatro componentes essenciais da CNV e detalha como eles podem ser aplicados em diversas situações da vida cotidiana. 

Ao longo do livro, o autor também aborda os desafios comuns na comunicação, como a tendência de julgar e culpar os outros, e oferece estratégias para superar essas barreiras e cultivar relações mais saudáveis.  

Quais são os 4 pilares da comunicação não-violenta? 

Na obra, Marshall Rosenberg define quatro pilares que norteiam sua teoria da Comunicação Não-Violenta. São eles:  

Observação 

O primeiro pilar da CNV é a capacidade de observar sem julgar. Isso significa descrever objetivamente uma situação, enfocando apenas os fatos concretos e observáveis, sem adicionar interpretações, avaliações ou julgamentos pessoais.  

A observação ajuda a manter a comunicação focada em eventos específicos e evita que as emoções obscureçam a percepção dos fatos.  

Sentimentos 

O segundo pilar envolve a identificação e expressão dos sentimentos. Reconhecer e comunicar os sentimentos de forma honesta e autêntica é crucial na prática da Comunicação Não-Violenta.  

Esse passo permite que as pessoas expressem suas emoções de maneira clara e compreensível, promovendo a empatia e a conexão genuína entre os envolvidos na comunicação. 

Necessidades 

O terceiro pilar da CNV é o reconhecimento das necessidades subjacentes aos sentimentos. Todas as pessoas têm necessidades básicas e universais, como segurança, conexão, autonomia e reconhecimento.  

Identificar e articular essas necessidades permite que as partes envolvidas na comunicação compreendam melhor umas às outras e encontrem soluções que atendam às necessidades de todos de forma satisfatória. 

Pedidos 

O quarto e último pilar é a formulação de pedidos claros e concretos. Em vez de fazer exigências ou críticas, a Comunicação Não-Violenta incentiva a formulação de pedidos positivos e específicos que expressem como as necessidades podem ser atendidas de maneira satisfatória.  

Os pedidos na CNV são feitos de maneira respeitosa e transparente, permitindo que o trabalho em equipe flua de forma produtiva e eficiente.  

Quais os benefícios da CNV no trabalho? 

A Comunicação Não-Violenta  é uma ferramenta que contribui para a criação de ambientes de trabalho agradáveis e sadios, que estimulam a colaboração e o bem-estar. Por isso, sua prática oferece diversas vantagens. Conheça as principais.  

Melhora nas relações interpessoais 

A Comunicação Não-Violenta promove interações mais empáticas e autênticas, o que fortalece os vínculos entre colegas de trabalho e líderes. Isso contribui para um ambiente de trabalho mais harmonioso e colaborativo, além de reduzir o estresse e o turnover. 

Resolução eficaz de conflitos 

Ao fornecer ferramentas para expressar sentimentos e necessidades de maneira clara e respeitosa, a CNV ajuda a resolver conflitos de forma construtiva. Em vez de alimentar ressentimentos e hostilidades, as partes envolvidas são incentivadas a buscar soluções satisfatórias e efetivas. 

Aumento da produtividade 

Uma comunicação mais clara e aberta promovida pela Comunicação Não-Violenta reduz mal-entendidos e conflitos desnecessários, permitindo que as equipes se concentrem em suas tarefas e objetivos comuns. Isso pode levar a um aumento da eficiência e da produtividade no trabalho. 

Desenvolvimento de liderança empática 

Líderes que praticam a Comunicação Não-Violenta são capazes de inspirar e motivar suas equipes de maneira mais eficaz. Eles demonstram conexão genuína, escuta ativa e habilidades de comunicação que inspiram confiança e respeito, tornando-se modelos a serem seguidos dentro da organização. 

Como praticar a CNV no ambiente de trabalho? 

Praticar a Comunicação Não-Violenta no trabalho envolve a aplicação de seus pilares e técnicas em diversas situações cotidianas. Confira algumas maneiras práticas de aplicar essa filosofia na sua empresa.  

Escute ativa e empaticamente 

Ao ser procurado, dedique tempo para ouvir atentamente seus colegas de trabalho e gestores. Demonstre interesse genuíno pelo que estão dizendo, faça perguntas para esclarecer e demonstre empatia ao reconhecer seus sentimentos e necessidades. Escute o outro sem julgamento, crítica ou acusação.  

Pratique o autoconhecimento 

Antes de se expressar o que sente e se comunicar, tire alguns minutos para pensar no que você está sentindo, o que está causando essas sensações e qual é sua real necessidade. Assim, você tende a conseguir ser mais claro e objetivo em suas mensagens, evitando linguagem reativa.  

Expresse o que sente 

O pilar Sentimentos convida pessoas a compartilhar o que sentem de maneira direta e respeitosa, sem se tornar agressivo ou passivo.  

Por exemplo, no lugar de dizer “Você sempre perde os prazos!”, frase carregada de hostilidade, prefira dizer como isso lhe faz sentir, como: “Me sinto frustrado quando você atrasa suas entregas”. Isso gera conexão imediata com o outro, que tende a se prontificar a ajudar.  

Comunique claramente o que precisa 

Procure entender os sentimentos e necessidades subjacentes dos outros e também se esforce para comunicar as suas. A ideia é apostar em uma linguagem produtiva que impulsione a busca por soluções.  

Outro exemplo: em vez de dizer algo como “Você não se importa isso”, diga: “É importante para mim que você se importe com isso, porque me ajuda a aprimorar meu trabalho e me passa mais confiaça”.  

A Comunicação Não-Violenta (CNV) oferece uma abordagem poderosa e eficaz para promover relações saudáveis e produtivas no ambiente de trabalho. Ao aplicar seus princípios, as empresas podem promover uma cultura de respeito, compreensão e colaboração, contribuindo para um ambiente de trabalho mais positivo e humano.

Agora que você conhece os fundamentos da comunicação não-violenta, que tal utilizar esta e outras técnicas para despertar o potencial das lideranças na sua empresa? Saiba como fazer isso em nosso ebook exclusivo!

Compartilhe

Receba conteúdos sobre times de alta performance direto no seu e-mail

Aproveite e leia também

Em um mundo corporativo cada vez mais complexo e dinâmico, a busca por abordagens de liderança autênticas e centradas na autogestão tornou-se

A diversidade está ligada à representação demográfica, enquanto a inclusão vai além. Incluir é garantir que toda a diversidade existente na empresa

Imagine uma empresa de alto crescimento que precisa executar transações ou trocar informações com stakeholders do mundo inteiro. Ou até mesmo uma

Nos últimos anos tem sido comum empresas que possuíam vantagens competitivas sólidas se verem ameaçadas (ou “disruptadas”) por empresas menores que não

Quase sempre, as grandes ideias não surgem de uma única pessoa ou função isolada, mas sim da interseção de funções ou pessoas

Os avanços tecnológicos do passado iniciaram as jornadas de transformação digital nas empresas, e serão os próximos avanços que moldarão o futuro

A inteligência artificial (IA) está redefinindo a forma como diversas atividades são conduzidas no ambiente corporativo. Uma de suas aplicações mais importantes

Lao-Tzu, filósofo chinês e fundador do taoísmo, sempre dizia que quem conhece os outros é inteligente, e quem conhece a si mesmo é

 Nos últimos anos, o conceito de ESG (Environmental, Social and Governance) tem ganhado destaque no cenário empresarial global. O aumento significativo nas

Resumo A liderança 4.0 é um novo modelo de liderança para a era digital, focado em tecnologia, adaptabilidade, inovação e pessoas. É

O conceito de produtividade no trabalho tem diferentes perspectivas e significados ao longo da história. Dentre essas perspectivas, a mais popularizada é

Em busca de abordagens de liderança mais eficazes e centradas nas pessoas, a liderança consciente surge como uma proposta inovadora e impactante.

Em um cenário empresarial dinâmico e desafiador, a capacidade de identificar e resolver problemas de forma eficaz é crucial para o sucesso

Em um mundo empresarial em constante evolução, a capacidade de adaptação é mais crucial do que nunca.  Nesta exploração aprofundada, embarcaremos em

Muito se comenta sobre metodologias ágeis e seu retorno para as organizações. E pelos comentários, podemos julgar que elas são a resolução

No contexto dinâmico do cenário profissional atual, a avaliação de desempenho não apenas se destaca como um procedimento padrão, mas se revela

Você já deve ter ouvido falar sobre profissional de alta performance no trabalho. Este profissional destaca-se por conseguir alcançar as metas e

Em um tempo de mudanças rápidas e imprevísiveis como o que vivemos, ficar estagnado não é uma opção. E, quando falamos em

A palavra “ética” vem sendo bastante usada em diversos contextos, desde lugares comuns até ambientes corporativos. Mas então, o que é ética

 A liderança é um componente essencial para o sucesso de qualquer organização, e em um mundo empresarial dinâmico, a abordagem de liderança

O mercado de trabalho moderno é dinâmico e altamente competitivo, exigindo que profissionais atualizem constantemente suas habilidades e competências.   No mundo acelerado

Em tempos de ciclos mais curtos a capacidade de se adaptar é crucial. Nesse cenário, o papel do Agile Coach ganha destaque,

As organizações de todos os portes e segmentos estão passando, nos últimos anos, por mudanças profundas na sua gestão e muitas estão

Com a aceleração do uso e democratização da tecnologia, que tem ampliado a capacidade das empresas de desenvolver novos produtos e serviços,

Em nosso artigo sobre diversidade e inclusão na prática, observamos a importância de trabalhar diversidade, os resultados positivos que ela causa, e

O que é efeito de rede? Você sabe o que é o efeito de rede (ou, no termo em inglês, network effect)?

Construa uma equipe de Alta Performance

A primeira e única plataforma onde o colaborador aprende enquanto performa e performa enquanto aprende

 

Encontre materiais e conteúdos da FRST